Saturno trígono Urano – Tempo e Contra-Tempo em Fluxo

Estamos dentro do período do trígono de fogo entre Saturno em Sagitário e Urano em Áries. Este aspecto tem, ao todo, 3 auges:

De 16/dez/2016 a 02/jan/2017 – auge em 24/dez, 22h21 Br / 25/dez, 00h21 UT – 20º34′ de Sagitário/Áries

De 09 a 27/maio/2017 – auge em 19/maio, 3h14 Br / 6h14 UT – 26º23′ de Sagitário/Áries

De 03 a 18/nov/2017 – auge em 11/nov, 7h44 Br / 9h44 UT – 25º38′ de Sagitário/Áries

Por Aline Camargo, Agente 76

Quando pensamos em uma dança, em uma música, uma batida ou pulso específico de uma melodia, ou simplesmente no passar dos instantes, imediatamente somos levados a pensar no tempo, numa reta pelo universo demarcando a passagem do tempo.

Há também dentro de todas essas composições um tempo que atravessa a melodia, o silêncio, o tropeço, ou mesmo o atraso, nesse caso entramos em contato com outra forma de manifestação do tempo, o contratempo que produz muita malemolência para se dançar.

Olhando cartograficamente, temos os limites, as fronteiras, as demarcações, os números que apontam distâncias e seus pontos finais. Como também há a intensidade, um fluxo que busca caminhos outros para transpor barreiras e a contagem comum.

Estamos com um encontro potente, Saturno em trígono Urano, o tempo e o contratempo, o limite e o contorno sinuoso, afinal, Urano provoca com seu comportamento contraventor, mas mesmo assim crias bases com a velocidade da mudança.

Parece estranho né?! Se observarmos o movimento desses planetas temos Saturno que se movimenta em seu eixo como se fizesse 90° com o plano da elipse e Urano, tem seu movimento feito um rolo compressor, provocando tensões e deslocamentos por onde passa.

De naturezas distintas e marcadores ricos de tempos temos nesse encontro a possiblidades de entrarmos em contato com instantes nossos, compreender onde estamos ainda enroscados em tempos passados ou desnecessários impedindo a potencia de um novo jeito de ser e estar com o diferente.

Num momento onde as fronteiras se tornam linhas imaginárias com a internet e ainda assim, vemos discussões imensas sobre quem pode ou não estar dentro desse ou daquele território. É de grande sorte se perceber para derrubar barreiras ou construir limites e contornos.

O aspecto é muito bom, Saturno segue retrógrado por Sagitário enquanto Urano segue por Áries e nesse encontro o fluxo para pausarmos e compreendermos em que tempo estamos ou então, onde não estamos deixando o espaço ser mais fluido por medo de mudanças.

Mudanças essas que permitem rever paradigmas, entrar em contato com territórios abandonados dentro de si e criar um novo cuidar. Seja recolocando e deixando feito tempo pretérito ou mesmo onde for necessário delimitar mais até você se sentir confortável para tocar e ser tocado.

Voltando um tanto para a dança, quando o corpo ou os corpos se propõe ao movimento, percebem juntos qual ritmo e tempo melhor se adequam e agora temos esse fluxo de escolha em nós. E não, não é preciso ansiedade para esse perceber, parando um pouco, ficando em sintonia consigo não há como evitar a percepção de sua necessidade.

Seja provocar mais o tempo e criar bases e contornos confortáveis para lidar com sentimentos ou encontros, seja deixar de brigar pelo controle e se permitir mudanças, terras novas. Os planetas transitam pelo fogo – não estamos com tempo para arrastar essas mudanças, elas já estão em nós, basta não desencontrar com o diferente em si ou no outro.

Saber acolher que as diferenças existem e que mesmo assim é possível conviver e criar corpo para melhor passar por seus momentos. Manter o corpo em movimento ajuda em muito a atravessar pelas nuances do tempo.

Em tempos onde a intolerância permeia os povos, é de grande valia ter a percepção de criar novos caminhos, contradizendo o que aquele tempo de antes vinha indicando.

Que esse encontro entre Saturno e Urano traga entre tantas coisas mais encontros e corpos se provocando para uma vida mais saudável.

Por Aline Camargo, Agente 76

Perfil e Contatos da Agente 76

Imagem: tela de Esther Bianco