Júpiter oposto Urano, Plutão Estacionário Direto – 28/set/2017

Intensidade, pressão e liberação

Júpiter oposto Urano – exato em 28/set, 1h24 (br) e 4:24 (ut), os 27º22 de Libra e Áries; ativo até 2/out/17, 2h09 (br) e 5h09(ut)
Plutão Direto – 28/set/2017, às 16h34(br) e 19h34(ut), aos 16º51‘ Capricórnio; até 22/abr/2018, aos 21º17’ Capricórnio
Vênus oposto Netuno – exato em 29/set/17 21h11(br) e 30/set 0h00(ut), aos 12º12’ de Virgem e Peixes; ativo de 29/set 2h02(br) e 5h02(ut) a 30/out 16h19(br) e19h19(ut);

Por Vanessa Guazzelli Paim, Agent 55

Temos, nesta quinta 28/set, o auge da oposição de Júpiter com Urano, que é o ápice de um ciclo iniciado em 2010/2011, quando ambos planetas ingressaram em Áries praticamente juntos, acendendo uma chispa de renovação e ação, uma vontade de desbravar horizontes, novos caminhos e mundos, com a marca do desenvolvimento tecnológico e do pioneirismo. Urano muda, liberta, renova e irradia; Júpiter expande e lança além. Juntos, fazem correr e saltar alto, voar. Agora, é o momento de vermos que frutos resultam das sementes lançadas na época da Primavera Árabe. Com Júpiter em Libra, a diplomacia se faz crucial para balancear o ímpeto de Urano no signo guerreiro de Áries.

Ao mesmo tempo, o confronto da oposição tem a potência da libertação. Momento de olhar de frente, ver o que continua verdadeiro e o que não, pra então liberar, libertar e seguir mais leve. No âmbito das relações, sejam pessoais, profissionais, sociais ou geopolíticas – é importante que as coisas estejam em uma boa direção até 9 de outubro, antes de Júpiter passar de Libra a Escorpião. Onde houver necessidade de resolver algo é melhor fazê-lo, ou ao menos encaminhá-lo antes, pois o estado ou a direção em que se estiver tende a aprofundar a partir do dia 10/out, para o mal ou para o bem.  Mas tudo com muita calma, diplomacia e leveza.  A paz interessa a todos, especialmente em um momento de intensidade como agora.

E, como se fosse pouco, no mesmo dia Plutão troca sua marcha, passando ao movimento direto. Isto é a liberação de uma grande potência. Desde abril, quando Plutão se pôs retrógrado, tivemos oportunidades de resgatar, conquistar ou aprofundar nossa autoridade interna. Nosso poder pessoal, nossa capacidade de domínio de nós próprios se desenvolve com as alquimias de Plutão, conscientizando, transformando, morrendo pra renascer mais verdadeiro e, por isso, mais forte.  Agora, esta potência que estava retrogradando pra concentrar mais no âmbito interno e essencial, é liberada para ser expressa no mundo e fertilizar a vida – destruí-la, em embates de poder; ou fertilizá-la, com a liberação de toda uma potência.

É um momento liberador, em que se intensifica o chamado para irmos além, cruzar a novos patamares de nós mesmos.

Na sexta ainda, se estendendo até sábado, há outra oposição, de um ciclo bem menor, de Vênus com Netuno, que pode falar de melancolia, ilusão amorosa, enganos e confusão; ou do meticuloso trabalho de dar forma ao indizível. Depois dessa peneira e digestão, na semana que vem, principalmente ao se aproximar a Lua Cheia, tende tudo a ficar mais claro e nítido. Para isso, agora é hora de pegar leve pra não embarcar em explosões, não virar foguete nuclear, nem tentar segurar o que precisa ser liberado. É hora de deixar transmutar o que é preciso.

Por Vanessa Guazzelli Paim, Agent 55

Perfil e Contatos da Agente 55