Lua Cheia aos 12º43’ de Áries, 05/out/2017, 14h35(br) e 17h35(ut)

Lua em Áries e Sol em Libra, ou Marte e Vênus se encontram do Céu à Terra

Por Vanessa Guazzelli Paim, Agente 55

Pois bem, a conjunção de Vênus e Marte, sempre mobilizadora nos recantos dos afetos humanos, acontece neste dia 5/out, não apenas junto com a Lua Cheia mas também regendo esta, uma vez que Lua Cheia é a oposição de outro par de opostos complementares, Sol e Lua, estes que estão respectivamente em Libra, signo regido por Vênus, e Áries, signo regido por Marte. Não bastasse isto, no eixo relacional de Áries e Libra é onde se encontram Júpiter e Urano, que recém tiveram o auge de sua oposição, com sede de liberdade e horizontes. Isto amplia a mobilização nos enfrentamentos e encontros também no nível social e geopolítico.

Áries e Libra são signos cardinais e portanto afetivos. Formam o eixo de noção de eu e da noção de um outro, ou de um nós possível. É onde nos deparamos com a necessidade de afirmação pessoal, mobilizada pelo encontro com o outro. Uma Lua em Áries não perde tempo com o que não é seu, se ocupa com alegria de si própria, pelo direito de existiir, pela alegria de ser quem é. E, então, se mobiliza apaixonadamente por quem e o que lhe entusiasma e enche de vida. Uma Lua Cheia em Áries está sempre de frente a um Sol em Libra. Não apenas porque quanto mais plenos como indivíduos, melhor caminhamos em parceria. Mas também porque no caminhar em par podemos realizar mais plenamente nosso próprio ser.

Em uma das edições de El Amor Al Cine, Dario Sztajnszrajber, ao tecer considerações a respeito do filme Nas Asas do Desejo, de Wim Wenders, reflete: “Pode alguém renunciar ao que é, só por amor? Ou é mais complexo… E se trata de entender que o amor é uma desculpa pra poder dar um salto maior e nos transformarmos inteiramente e de maneira qualitativa? Qual é o desejo das asas dos anjos?”

Em eixo cardinal, esta Lua Cheia nos traz a questão do desejo  – o que queremos fazer encarnar e trazer à vida. Os regentes são Marte e Vênus, neste mesmo dia em conjunção exata, aos 19º13’ de Virgem, signo de terra mutável. Os dois astros celestes se aplicam em aspectos tensos no âmbito dos signos mutáveis, onde nos deparamos com as diferenças que nos fazem igualmente humanos. Plutão, senhor da morte e da transformação, intensifica e aprofunda este encontro. E, ao mesmo tempo, desafia Sol e Lua no âmbito cardinal dos afetos e afecções. O céu é potente e desafiante, convocando e oportunizando passarmos a um outro nível de vínculo com nós próprios e em nossas relações.

E seguimos com Sztajnszrajber:

“O amor pode também vencer a morte. E não precisamente porque nos faça imortais, muito pelo contrário. O amor vence a morte porque dá sentido a uma vida que começa e termina. Dá-nos a possibilidade de encontrar um fio que vá tecendo tanta solidão, tanta fragmentação, tanto isolamento. Amor é uma forma de tecer sentido, como o narrador… como cada um de nós que cai à Terra para ir em busca de nosso amor.”

Feliz Lua Cheia.

Por Vanessa Guazzelli Paim, Agent 55

Perfil e Contatos da Agente 55